Select Menu

.

.

Foto Destaque

® Jornal Online SJPNews 2014 ™. Tecnologia do Blogger.

 |
A demora na definição da correção da tabela do Imposto de Renda (IR) deste ano tira dinheiro do bolso do trabalhador. Enquanto o governo e o Congresso não chegam a um acordo quanto ao índice que deve ser aplicado – 4,5% proposto pela presidente Dilma Rousseff ou 6,5% como querem os deputados – o salário do contribuinte sofre descontos mensais de acordo com os limites do ano-calendário de 2014, com a menor alíquota (7,5%) aplicada nos rendimentos de quem recebe a partir de R$ 1.787,77.


Nos primeiros anos do Plano Real, entre 1996 e 2001, a estabilização da moeda e o fim da correção monetária congelaram a tabela, que voltou a ser reajustada em 2002. Desde 2008, o índice aplicado é de 4,5%. Caso o porcentual seja mantido para os descontos em 2015, a defasagem entre a inflação acumulada entre 1996 e este ano será de 66,6%, de acordo com cálculos do Sindicado Nacional dos Auditores Fiscais (Sindifisco).


Além de não recuperar o poder aquisitivo do trabalhador, mantendo o desconto na mesma faixa salarial, a não correção corrói os rendimentos de quem teve algum reajuste ao longo do ano passado. “Se o Fisco fosse uma empresa privada e não um agente da administração pública, a prática seria enquadrada como apropriação indébita”, compara o presidente executivo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), João Eloi Olenike. A recuperação do extra cobrado nos primeiros meses de 2015 poderá ser feita pela própria fonte, na devolução dos descontos, ou na Declaração de Ajuste de 2016. O mecanismo deve ser determinado por lei, quando a correção for definida.

Mais imposto

A correção da tabela abaixo do índice de inflação também aumenta a base de arrecadação do governo. “Em 1996, contribuintes que recebiam até nove salários mínimos eram isentos da cobrança do IR. Hoje, quem ganha 2,5 salários já entra na menor faixa”, explica o presidente do Sindifisco em Curitiba, Delmar Joel Eich. A estimativa é de que, apenas em 2014, mais de um milhão de pessoas tenham entrado na base de contribuintes.


A justificativa do governo federal para manter o reajuste de 4,5% neste ano é a quebra na arrecadação – R$ 7 bilhões a menos – caso o índice de correção fosse de 6,5%, conforme aprovado no Congresso.
No Brasil, a maior parte da carga tributária está sobre o consumo. Em países com maior renda per capita, o imposto sobre rendimentos e propriedade chega a 45%, ainda que todas as despesas sejam dedutíveis. Aqui os tributos incidem na produção e no pré-venda. Em um cenário de economia fraca, a expectativa do governo federal é reverter o desempenho da arrecadação total de 2014, que somou R$ 1,187 trilhão, com queda de 1,79%, a primeira em cinco anos.

FONTE: GAZETA DO POVO.

Dia 15/03/2015 domingo estamos nos reunindo, e sairemos as ruas de todo o Brasil para pedir o IMPEACHMENT de DILMA ROUSSEFF como fizemos em 1992 com o então presidente Fernando COLLOR de Melo. Não pagaremos 4 reais no litro da gasolina porquê roubaram a Petrobrás, não aceitaremos 3,50 reais pra andar de ônibus ou trem, não aceitaremos aumento nos impostos.  Como IOF, ICMS, IPTU, IPVA e etc.. 


No 15/03/2015 todos nas ruas pelo IMPEACHMENT!!!! 

VAMOS PROTESTAR NÃO APENAS AO GOVERNO FEDERAL
MAIS CONTRA TODA A CORRUPÇÃO SEJA ELA EM NOSSA CIDADE OU PAIS. 

Nosso protesto é pacifico, não sera permitido bandeiras e camisas de partidos políticos e vândalos e black blocs serão detidos e entregues a policia pela própria população. Haverá jovens, adultos e idosos na manifestação. Pedimos que todos vão de verde e amarelo como em 1992 com as cores do BRASIL e caras pintadas!!!


REPASSEM A TODOS OS CONTATOS E GRUPOS DO WHATSAPP E REDES SOCIAIS DO BRASIL... IMPEACHMENT JÁ!!! OU ADEUS BRASIL E SEREMOS ESCRAVOS DELES!


***PARANÁ***

Curitiba - Praça Santos Andrade - 14 HORAS.
Maringá - Catedral centro
Londrina - Em frente à Catedral.
Ponta Grossa - Em frente ao terminal central


São José dos Pinhais - Catedral - A PARTIR DAS 13H.


Leve sua câmara e grave este momento! 

Curta o evento no facebook
https://www.facebook.com/events/817935421601808



NOSSA BANDEIRA

1 - REDUÇÃO DOS IMPOSTOS.
2 - REDUÇÃO DOS JUROS.
3 - COMBATE A CORRUPÇÃO EM TODAS AS ESFERAS.

MOBILIZE#COMPARTILHE!
''O PAIS QUER UMA NOVA ELEIÇÃO''


CAMINHONEIROS EM GREVE! #APOIADOS.




DSC_0591
“O passageiro que utiliza transporte clandestino não tem garantia nenhuma”, explica o chefe de Transportes, Saulo Aversa (Foto: Silvio Ramos/PMSJP)
A Prefeitura de São José dos Pinhais realiza constante fiscalização do transporte de passageiros no Aeroporto Internacional Afonso Pena afim de inibir o transporte irregular de passageiros. Este ano as blitze realizadas pela Guarda Municipal, em parceria com fiscais da Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito são quase diárias e, mesmo assim, a cada 30 veículos abordados três são flagrados realizando o transporte remunerado de passageiros sem autorização.
“Aquele que é flagrado realizando este tipo de serviço incorre no Artigo 232, Inciso 8 do Código Brasileiro de Trânsito, que é o de realizar transporte de passageiros sem autorização, além de se enquadrado no Artigo 47 por Contravenção Penal por exercer profissão a qual não tenha permissão para executar, o que resulta em Termo Circunstanciado”, explica o chefe de Operações da Guarda Municipal, Marciano Barreto.
Durante a blitz o motorista irregular é multado e o passageiro orientado a desembarcar e seguir por outros meios. Mas o que chama a atenção das autoridades é que muitos motoristas são recorrentes conforme explica o chefe de Transportes, Saulo Aversa. “Temos uma relação de veículos e de pessoas que mesmo sabendo que estão contra a Lei continuam realizando o transporte irregular. Tentam burlar a fiscalização, mas já sabemos de todos os macetes e trabalhamos com fiscais a paisana”, disse
Esse tipo de transporte, segundo Saulo, prejudica não apenas o taxista regulamentado como também representa risco ao passageiro. “Apenas taxistas de São José dos Pinhais tem a permissão para realizar o transporte remunerado de passageiros, ou seja, motoristas que passaram por processo licitatório e que cumprem determinações legais rigorosas, desde documentação, até uniforme e conservação do veículo. O passageiro que utiliza transporte clandestino não tem garantia nenhuma”, explica.

DSC_0593
(Foto: Silvio Ramos/PMSJP)
DSC_0595
(Foto: Silvio Ramos/PMSJP)


Uma idosa de 66 anos morreu na hora após ser mordida no pescoço por dois cães da raça Rottweiler, em uma empresa de tornearia no prolongamento da Av. Rui Barbosa, no bairro Cachoeira, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. A tragédia, no início da manhã deste domingo (22), aconteceu no momento em que Maria de Lourdes foi alimentar os cachorros no terreno que é de seu filho.
O soldado Valério, da Polícia Militar (PM), explicou o que pode ter acontecido para a idosa ter sido atacada. “A senhora, pelas imagens das câmeras de segurança, aparece caída, após ter sofrido um mal súbito. Nesse momento, os cães partem para cima dela, com uma das mordidas pegando na jugular, com ferimentos incompatíveis à vida”, disse à Banda B.
O caso surpreende a todos na região, já que Maria de Lourdes costumava, diariamente, alimentar os cães para o filho. “O  rapaz está chocado com o que aconteceu e parece não entender. Agora a Polícia Civil realiza o inquérito do caso”, concluiu o soldado.
Os dois cães foram dominados e fechados em uma área da empresa. O corpo de Maria de Lourdes foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML).
Banda B
A chuva que atingiu Curitiba durante todo o sábado (14) deu uma trégua durante os desfiles do grupo principal do carnaval de 2015. Segundo estimativas da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), mais de dez mil pessoas passaram pela Avenida Marechal Deodoro durante os desfiles dos blocos e das escolas de samba. A última agremiação a passar pela avenida foi a Mocidade Azul, já na madrugada deste domingo (15).
O carnaval deste ano foi o segundo na Avenida Marechal Deodoro desde o retorno da festa ao seu berço originário. De 1998 a 2013, os desfiles ocorreram no Centro Cívico. O desfile começou por volta das 18h30 de sábado e se encerrou por volta das 4 horas da madrugada de domingo. As arquibancadas, que no início estavam pouco movimentadas, ficaram praticamente lotadas até o desfile da última escola do grupo principal.
Segundo Luzia Simplício da Silva, da comissão de carnaval da FCC, o público de mais de dez mil pessoas surpreendeu devido ao mau tempo de ontem. “Esperávamos mais pessoas se não tivesse chovido. Mas, com o tempo que tivemos ao longo dia, podemos ficar satisfeitos”.
Com capas de chuva e guarda-chuvas guardados, foliões puderam aproveitar a festa com mais liberdade. Principalmente durante os dois últimos desfiles, que reuniram as escolas favoritasAcadêmicos da Realeza e Mocidade Azul. Morador do Capão da Imbuia, o aposentado Eduardo Duarte, 63, assistiu pela primeira vez os desfiles das escolas curitibanas e não se arrependeu. “É muito animado. Se eu soubesse, teria vindo antes. Recomendo a todos”.
Vice-campeã em 2014, a Acadêmicos da Realeza empolgou o público com o samba-enredo sobre Fernando Guimarães, conhecido como “Fernando de Ogum”, falecido em 2012. Em homenagem a Acyr Guimarães, pai de Fernando e um dos jornalistas mais importantes da história do Paraná, que trabalhou na Gazeta do Povo, a letra do samba trazia uma referência ao jornal em seu refrão: “Na Gazeta a manchete é o povo”. Já Fernando também ganhou notoriedade pelo seu trabalho no terreiro do Pai Maneco.
O destaque entre os carros alegóricos da escola ficou por conta da representação do Cassino do Ahú. O ponto negativo ocorreu já no final do desfile, quando a lateral do último carro da escola acabou atingindo uma das arquibancadas. Ninguém se feriu. Mas o incidente ocorreu na frente dos jurados.
Já a Mocidade Azul, atual campeã, trouxe um samba-enredo sobre a ‘pressa de nosso tempo’. A comissão de frente da escola se destacou por representar um relógio em contagem regressiva e a coreografia parava de acordo com o samba – em uma espécie de ‘momento de reflexão’. Os meios de comunicação também foram tema da escola, principalmente a internet. Os componentes de um dos carros alegóricos, inclusive, se sentavam em frente a computadores, dançavam e se beijavam – tudo apressadamente, representando a correria do século XXI.
Caçula
Até a chuva parou para a estreia do Rei Momo e sua rainha no carnaval de 2015. Logo atrás da realeza, com 360 participantes e três alegorias, a escola Imperatriz da Liberdade foi a primeira do grupo A a cantar seu enredo. Com dois anos de fundação, a caçula desfilou pela primeira vez na categoria, depois de ser campeã do grupo B em 2014. Com o tema "A Imperatriz é Boa Praça", os carnavalescos homenagearam as praças de Curitiba e do mundo como lugar de encontro e da discussão de ideias.
Praças curitibanas como a da Espanha e do Japão foram homenageadas pela Imperatriz da Liberdade com alas caraterizadas. Também chamou atenção do público a ala "manifestações", na qual todos vestiam preto, com faixas verde-amarelas e usavam as conhecidas máscaras Anonymous.
Com 500 integrantes e cinco alegorias, a Leões da Mocidade, segunda do grupo A a desfilar, escolheu para seu oitavo carnaval homenagear a cultura cigana. Com coreografias bem ensaiadas e pomposas alegorias, a escola do bairro Boqueirão retrata em suas 12 alas a história dos ciganos, suas lendas e tradições, como o casamento
Grupo B
Por volta das 20h30, entrou a primeira escola do grupo B, a Unidos de Pinhais, com o tema "A Pinhais se embala nas asas da borboleta". A segunda escola do grupo B, Internautas, de Pinhais,teve como tema "Memorial da saga afro-brasileira".
A vencedora do grupo B este ano vai desfilar entre as principais, no bloco A, em 2016.
Blocos
Os primeiros a pisar na avenida, transformada em sambódromo no decorrer da última semana para receber o público, foram os blocos Afroxé, Unidos de Judá e Derrepent.
Com a forte chuva, o bloco de idosos Rancho das Flores, cancelou a sua participação no evento "para preservar a saúde".
O bloco Derrepent, foi o último a desfilar e teve como tema os 30 anos de fim da ditadura militar. Na saída, os integrantes gritaram no microfone "Fora Beto Richa".
Segurança
Equipes da Polícia Militar e da Guarda Municipal presentes em diversos pontos da avenida garantiram a tranquilidade da festa.
20150211-e-12-sems-082-082
O prefeito Luiz Carlos Setim; secretário de Saúde, Brasilio Vicente de Castro Filho; Giovani de Souza, diretor do Hospital e Maternidade São José; as consultoras do Grupo Brasileiro de Qualificação de Risco, Cintia Alcântara Carvalho e Paula Tassia Barbosa; e Dulcelsa Kaliberda, diretora de enfermagem do hospital São José (Foto: Divulgação/Sems)
A Prefeitura de São José dos Pinhais está se qualificando para implantar no Hospital e Maternidade São José, e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) Afonso Pena e Rui Barbosa, um dos procedimentos de fluxo de atendimento a pacientes mais modernos e reconhecidos do mundo. É o Sistema Manchester de Qualificação de Risco, presente em apenas 18 países. Na Região Metropolitana de Curitiba, São José dos Pinhais será o pioneiro, e a quinta cidade do Paraná a implantar o sistema, que organizará o atendimento dos pacientes no Hospital São José e nas UPAs não mais por ordem de chegada, mas pela priorização a pacientes mais graves, diminuindo o tempo para a consulta médica e salvando vidas.
“No ano passado, a Prefeitura trabalhou na melhora da infraestrutura da Saúde do Município. Prova disso foi o investimento em mais de R$ 2 milhões em equipamentos para o Hospital, a nova sede do SAMU, a reestruturação da UPA Rui Barbosa, a inauguração da nova UPA Afonso Pena e o Centro de Especialidades Médicas. Este ano vamos investir na qualificação técnica do sistema de saúde, objetivando melhorar o atendimento do Hospital, UPAs e nas Unidades de Saúdes. Uma das coisas decisivas para isso é a organização do atendimento ao paciente são-joseense, melhorando o tempo de espera nas instituições de saúde e priorizando o atendimento a pacientes em estado mais grave, diminuindo o tempo de espera dele. Por isso, a implantação do Sistema Manchester no Hospital, e na sequência nas UPAS. Ele irá qualificar o atendimento aos pacientes que utilizam a nossa Rede de Saúde. Tudo isso porque nós temos como foco melhorar o serviço prestado ao nosso munícipe”, disse o prefeito de São José dos Pinhais, Luiz Carlos Setim.
O Sistema Manchester no fluxo de atendimento aos pacientes do Hospital deve entrará em vigor já no mês de março. Contudo, na quarta e quinta-feira (11 e 12) desta semana, profissionais de enfermagem do Hospital participaram do curso de capacitação para a implantação do Protocolo, e nos próximos dias deverá ser certificado para implantar o sistema no Município. “A implantação do Sistema Manchester no fluxo de atendimento do Hospital e Maternidade São José será um avanço à nossa Saúde. Ele qualifica o serviço prestado à população e organizará o atendimento, destinando os pacientes em estado de emergência e urgência ao Hospital e distribuindo os casos menos graves às UPAs e Unidades de Saúde. Com isso, diminuiremos o tempo de espera do paciente, destinando ele ao serviço mais adequado ao seu estado vital”, explica o secretário Municipal de Saúde, Brasilio Vicente de Castro Filho.
De acordo com o diretor geral do Hospital São José, Giovani de Souza, São José dos Pinhais possui um Hospital de referência no atendimento de urgência e emergência da Grande Curitiba. Com a implantação do Protocolo de Manchester, o Município terá um serviço de qualidade, tanto na consulta médica, quanto no fluxo de atendimento aos pacientes. “Com o Sistema Manchester qualificaremos ainda mais o atendimento do Hospital. Somente os melhores hospitais do mundo possuem esse protocolo de atendimento. Na nossa região, somente Curitiba, com três hospitais, possui o Manchester. Nós seremos o primeiro município da Região Metropolitana a implantá-lo. Isso mostra o compromisso da Administração Pública em oferecer investimentos em Saúde também na qualificação do atendimento à população”, frisa.
Hospital focado no atendimento de Urgência e Emergência
Com a implantação do Sistema Manchester, o Hospital São José priorizará o atendimento a casos mais graves. Para a enfermeira Carolinne Gatti, que atuou anos na área de triagem a pacientes, o Manchester vem auxiliar na qualificação do atendimento. “Infelizmente, muitos pacientes que chegam até o Hospital deveriam ser atendidos nas Unidades de Saúde e não aqui, pois a prioridade de um Hospital é o atendimento a pacientes mais graves. Por isso defendo que o Sistema Manchester profissionalizará o atendimento do Hospital como deve ser, atendendo com dignidade e respeitando a ordem do atendimento de acordo com o real estado do paciente”, destaca.
Hospital focado no atendimento de Urgência e Emergência
Com a implantação do Sistema Manchester, o Hospital São José priorizará o atendimento a casos mais graves. Para a enfermeira Carolinne Gatti, que atuou anos na área de triagem a pacientes, o Manchester vem auxiliar na qualificação do atendimento. “Infelizmente, muitos pacientes que chegam até o Hospital deveriam ser atendidos nas Unidades de Saúde e não aqui, pois a prioridade de um Hospital é o atendimento a pacientes mais graves. Por isso, defendo que o Sistema Manchester profissionalizará o atendimento do Hospital como deve ser, atendendo com dignidade e respeitando a ordem do atendimento de acordo com o real estado do paciente”, destaca.
Fluxo de atendimento por cor
O Sistema Manchester de Qualificação de Risco realiza a triagem dos pacientes por cores. Segue abaixo como é realizada esta divisão e o tempo de espera de cada grupo:
Vermelho: Emergência. O paciente deve ser atendido imediatamente
Laranja: Muito Urgente. O paciente deve ser atendido em até 10 minutos
Amarelo: Urgente. O paciente deve ser atendido em até 1 hora
Verde: Pouco Urgente. O paciente deve ser atendido em até 2 horas
Azul: Não Urgente. O paciente deve ser atendido em até 4 horas
20150211 e 12 sems 076
Hospital São José será o segundo hospital público da Grande Curitiba e o primeiro da RMC a implantar o sistema (Foto: Divulgação/Sems)
manchester_foto_antonio_bobrowec_3
O prefeito Luiz Carlos Setim prestigiou o curso de capacitação da equipe da enfermagem do Hospital São José, que irá aplicar o Sistema de Manchester no fluxo de atendimento (Foto: Divulgação/ Sems)